O Whatsapp concentra quase toda comunicação direta do mundo não obsoleto. Ninguém mais manda SMS, raramente se faz uma ligação por voz. E o bom e velho email é mais usado para assuntos “oficiais”.

Quem não gosta do Whatsapp já ficou tentado a utilizar outros serviços de mensagens, como o Telegram. Só tem um problema: Ninguém usa outros serviços. E assim o Whatsapp reina soberano.

No meu caso, foi um dia puxado e algo começou a me irritar: Só notícia ruim e problema vindo pelo Whatsapp! (Como se não bastasse a quantidade normal de problemas que a gente é pago pra solucionar dentro da nossa empresa).

Aí tive a brilhante idéia de desenhar essa figura e fazer UPLOAD dela como foto do avatar:


Leia mais…



Desde 2006 o site glufke.net estava hospedado na mesma provedora. O caso é que partir de 2018 os custos aumentaram quase 200% devido uma “reestruturação e outras coisas”. (Até hoje não entendi como que o preço pode aumentar, sendo que a conexão e storage são cada vez mais baratos).

Pois bem, foi nessa época, que surgiu esse tweet abaixo:

Coisas novas estavam para acontecer!

Infelizmente, a notícia que houve o aumento de preço veio de última hora e acabei não tendo tempo de testar as outras opções. E tive que renovar mais um ano com a antiga provedora.

Já em 2019, acabei me aprofundando mais nos diversos serviços presentes no Amazon Web Services. Acabei entendendo como funciona o EC2 / S3 / Route53, etc. E após configurar e apagar várias instâncias, acabei optando por um server definitivo. Isso é uma coisa legal de se trabalhar na nuvem: Você cria e destrói uma instância com poucos clicks.

Além disso, tinha outra coisa que estava na minha cabeça já fazia um tempo: Docker! Como na minha antiga provedora, eu não tinha acesso total ao server, cada vez que eu precisava de um aplicativo X ou Y, eu tinha que abrir um ticket e solicitar a instalação. Em outras palavras, sem chances de testar coisas como Docker. Nunca iam aprovar.

Agora as coisas eram diferentes!

Instalei o docker e da mesma forma que eu testei e destruí várias instâncias, acabei criando e apagando diversos containers. Até que chegou o ponto que tudo estava aparentemente “estável” e foi aí que houve a mudança do DNS para a “nova casa AWS”, usando 3 containers separados.

Como agora a responsabilidade de manter tudo é 100% minha (ou seja, não tem a provedora pra fazer backups, pra abrir ticket, etc), acabei me preocupando bem mais com as questões de backup e eventos do server:

– A maioria dos eventos está sendo enviada pro meu celular via Direct Message no twitter, usando API.
– Os backups estão sendo feitos de forma automática e enviados para outra nuvem automaticamente.
– O controle de versão de tudo está no github, em um repositório privado.

Por que tudo isso?

É claro que o aumento de preço da antiga provedora foi o que mais influenciou para que essa mudança ocorresse. Digamos que foi o pontapé inicial para se “cogitar” mudar tudo. Depois disso, o que mais motivou a ida para o AWS e Docker foi a curiosidade de aprender como essas tecnologias funcionam. Eu poderia ter simplesmente encontrado outra provedora como a primeira, mas, porque não tentar algo diferente?

Eu continuo fazendo ajustes e melhorias. Recentemente começamos a testar um sistema novo de anúncios no site, basicamente para ajudar nos custos de hospedagem, e com isso manter essa base de conhecimento ativa.

Obrigado a todos que participam tirando as dúvidas da comunidade!




Um dia um professor disse: “Você não pode praticar medicina ou direito em casa. Mas computação sim“. O texto abaixo relata um pouco da prática e experiência adquirida ao longo dos anos neste laboratório online chamado GLUFKE.NET.

No início havia GeoCities. Caso você nunca tenha ouvido falar dele, ainda é possível ler a respeito em algum site de arqueologia web. Em poucas palavras, era um site onde se podia hospedar páginas HTML de graça em endereços pré-definidos, como nome de países, locais, etc. Por exemplo: www.geocities.com/athenas/acropolis/5545. A gente se conectava via FTP e soltava ali o “index.html” feito no Microsoft FrontPage. (Taí outra coisa da era paleolítica).


Leia mais…




glufke10000_sombra

São 10 mil tópicos sobre Oracle!
Parabéns a todos que contribuiram com suas dúvidas e respostas
para o maior forum sobre Oracle em português!




Estou escrevendo esse texto para colocar meu parecer sobre o novo curso de SQL Tuning oferecido pela Nerv. Como eu participei da primeira turma de SQL Tuning, tenho o privilégio de compartilhar sobre o curso de antemão. Este é o segundo curso que eu faço na Nerv. O primeiro, você pode ver o review neste link.

Instrutor

O professor é o Ricardo Portilho Proni que é uma referência técnica no Brasil. Para quem não conhece, ele possui uma grande quantidade de certificações, incluindo Oracle ACE e palestrante em diversos eventos sobre Oracle. Possui uma experiência profissional muito grande. Sou totalmente suspeito em falar sobre o Portilho, pois quem me conhece, sabe que eu sou fã de carteirinha dele desde 2010. 😀

Nerv1Nerv2Nerv Certificados

A Turma

Tive a grande alegria de re-encontrar amigos e conhecer novos. Na turma estavam os seguintes alunos:
* Fernando Franquini (DBA Capin do certificacaobd.com.br. Atualmente DBA na Softplan )
* Eduardo Ribeiro ( DBA na UOL Diveo )
* Hugo Torralbo ( DBA no Itaú / Unibanco )
* Itagyba Kuhlmann ( Arquiteto de soluçoes na Pernambucanas )
* Thomas Glufke ( Oracle EBS Senior Developer na Dell Computers )
* Abaixo, o instrutor Ricardo Portilho ( Instrutor e Owner da Nerv Informática )

Leia mais…




bug

Tem algumas coisas que estão praticamente enraizadas no mundo Oracle: me refiro a algumas práticas que quase todo mundo faz e que foi adotado como padrão. O texto abaixo não contém nenhuma nova feature do Oracle, nem é nenhuma novidade pra ninguém. Mas por incrível que pareça, eu vejo em quase todas empresas essa prática e isso normalmente gera problemas. Me refiro a utilização de um NVL pra fazer um filtro opcional na query. Abaixo está um exemplo:

SELECT *
FROM tabela
WHERE campo = NVL ( p_parametro1 , campo )

Quase todo programa tem um sistema de filtro como esse acima.
Se o usuário informar o p_parametro1, a query vai mostrar apenas as linhas cujo campo é igual ao p_parametro1.
Se o usuário não informar nada, cai no NVL, e ele faz join com a própria coluna, trazendo tudo.

Leia mais…




O forum completa 10 anos!

27/08/2014 | Tags:, , | Categories: Geral

glufke_twitter5

Parabéns a todos vocês que fizeram parte dessa história! Esses 10 anos no ar provam que a comunidade Oracle no Brasil é muito unida e principalmente solidária, pois este site só existe graças às milhares de respostas e ajuda de pessoas dispostas a compartilhar conhecimento. Essa é a principal filosofia aqui: compartilhar conhecimento! Já que completou 10 anos, nada mais justo do que escrever aqui um pouco da história e como o forum foi criado.

Leia mais…




report_error2

Este é mais um daqueles casos que temos que chamar o Padre Quevedo pra dizer: “Este fenômeno nôm exziste“. Abaixo, vamos fazer uma análise de um programa com erro e como foi solucionado o erro.

O PROBLEMA

O relatório funcionava perfeitamente. Mas raramente, ou seja, 1% das vezes em que era executado, o relatório saía com os valores de todos os campos duplicados! Exemplo:  Deveria sair o valor R$ 20,00  mas saía R$ 40,00. Isso ocorria em todas colunas!

Leia mais…




É com muita alegria que anunciamos uma parceria firmada entre a Nerv Informática e o forum glufke.net. A Nerv Informática colocou um banner patrocinado em todas páginas do forum. Como muitos já sabem, o forum glufke.net é uma comunidade online sem fins lucrativos com o único objetivo de disseminar conhecimentos e experiências na tecnologia Oracle. Além de todo esforço dos membros e moderadores, existem também despesas que são necessárias para manter o site no ar. É nesse quesito que a Nerv Informática está nos auxiliando e estamos muito orgulhosos disso.

Sobre a Nerv Informática

A empresa foi fundada pelo Ricardo Portilho, que é um dos grandes nomes do Oracle no Brasil e também um dos Oracle Aces brasileiros. Conheci o Portilho em 2010 e depois disso, tive a oportunidade de fazer um dos cursos na Nerv (aqui está o meu review). Uma das coisas que o Portilho comentou e que me chamou atenção foi que o objetivo da Nerv era mudar o Brasil. Como assim? O objetivo dele era treinar e qualificar os profissionais no Brasil para ser um país num nível competitivo em relação a outros pelo mundo! Ao fazer o curso, eu entendi perfeitamente o que ele queria dizer com isso, pois a Nerv é uma escola diferente de todas as outras.

Conclusão

Quero dizer que estamos muito felizes que além de fazer a diferença no Brasil com os cursos e treinamentos, a Nerv também está apoiando as comunidades independentes como essa. Obrigado a Nerv por nos ajudar com as depesas e também aos membros do forum por suas ótimas contribuições.

Um bom trabalho a todos!

Thomas Glufke
Desenvolvedor Oracle EBS
Moderador do forum glufke.net




Bug do ano 2013

25/02/2013 | Tags:, , | Categories: PL/SQL

Pra quem pensa que o Bug do Milênio foi o último envolvendo datas, aí vai a sensação do momento: O Bug de 2013.

O Bug ocorre na seguinte situação:
* O programa X grava dados de data na tabela usando o seguinte formato de datas:  YYYYMMDD.
* O programa Y lê dessa tabela usando o formato DDMMYYYY. (Sim, é um erro, um bug no programa).

Até o ano de 2012, este erro não aparecia, veja um exemplo:
* O programa X salva a data 23abr201120110423 (YYYYMMDD)
* Quando essa data era lida pelo programa Y, ele lia  20110423 (DDMMYYYY) = 20nov0423. Data errada, mas não acusava erro!

Pois o ano de 2013 chegou e esse erro apareceu. Veja:
* O programa X salva a data 23abr201320130423 (YYYYMMDD)
* Quando essa data era lida pelo programa Y, ele lia  20130423 (DDMMYYYY) = 20-???-0423. Como não existe mês 13, dá erro!

O interessante é que esse bug está aparecendo só agora, depois de muitos anos de erro oculto. Finalmente em 2013 ele está fazendo os programas pararem de rodar.

Exemplo/Situação compartilhada por Rafael Lopes Lima (Programador Oracle EBS)